Um recente estudo publicado pelo Hootsuite mostra tendências das redes sociais para 2020. Separei algumas delas para você aqui pois as considero extremamente importantes para trilhar novas oportunidades para empresas de todos os tamanhos e mercados.

 

Engajamento público e privado

Já foi o tempo em que você precisava apenas postar os seus conteúdos no feed de notícias do Facebook ou no Instagram. As pessoas têm buscado canais privados para trocar informação e experiência.

63% dizem se sentir mais confortável ao compartilhar informação através de apps de mensagem

O WhatsApp já conta com 2 bilhões de usuários. E os esforços do Facebook para ampliar troca de mensagens não para.

Recentemente o Instagram lançou o Treads, uma ferramenta camera-first para troca de mensagens com seus melhores amigos.

 

O que isso significa para o seu negócio em 2020?

Mesmo com o crescimento das mensagens instantâneas no Messenger e Whatsapp as publicações públicas (aquelas feitas no feed de notícias / stories) seguem importantes para o descobrimento de marcas e aquisição de clientes.

52% das marcas descobertas ocorrem nos feeds das redes sociais, de acordo com o estudo realizado pela We Are Social

 

Desafio

Balancear estratégia de awareness (conhecimento) nos feeds com conteúdo relevante nos canais privados – ou marketing 1-to-1.

Os profissionais de marketing deverão criar uma jornada fluída entre as redes sociais (Facebook / Instagram / Linkedin / Twitter) e os canais de mensagem instantânea privadas como grupos no WhatsApp / Facebook / Grupos no Facebook.

 

Para que isso aconteça:

1.    Automatize as coisas simples

Pessoas e empresas hoje trocam 20 bilhões de mensagens todo mês no Facebook Messenger, 10x mais o volume observado em 2016.

Por conta disso, é importante automatizar as tarefas simples e repetitivas. O Facebook possui uma ferramenta para automatizar algumas respostas ou até mesmo criar um chatbot para o seu negócio.

 

2.    Entenda e respeite o canal

Respeite as nuances de cada canal. O engajamento 1-a-1 requer cuidados específicos. Seja claro em relação ao valor que está entregando, seja na ajuda a encontrar um conteúdo, escolher o melhor serviço ou resolver alguma dificuldade.

Colaboradores ganham muito mais destaque

Em um mundo polarizado como o nosso, as pessoas se conectam aqueles em que confiam. O que está em jogo é a confiança.

Uma pesquisa da Edelman mostrou que 75% dos colaboradores confiam nos seus empregadores mais do que nas instituições tradicionais.

 

O que isso significa para o seu negócio em 2020?

É a oportunidade para a sua empresa abraçar o poder da amplificação pelo compartilhamento pessoal.

Pessoas confiam em pessoas, lembre-se disso.

 

Desafio

As pessoas seguem exemplos e não blá blá blá da diretoria. É importante que a empresa comunique com clareza o seu propósito, os seus valores e que eles sejam executados em todas as esferas de atuação.

 

Para que isso aconteça:

1.    Lidere pelo topo

Compartilhar conteúdo através do CEO é torna-lo mais acessível. Os colaboradores querem saber o que acontece com o alto escalão – isso inclui acertos e erros –pois demonstram proximidade e vulnerabilidade (fatores humanos).

 

2.    Proteja a sua marca

Tenha um plano para proteger a sua marca. Estar preparado para situações de crise com políticas bem definidas e tecnologia para identificar quando a sua marca é atacada faz sentido para empresas de todos os tamanhos.

Saiba como responder à situações agressivas.

 

3.    Advocacia da marca como prioridade

Um plano de comunicação para os colaboradores tem que fazer parte das prioridades da equipe de marketing em 2020.

A rede de hotéis e resorts Meliá Implementou um modelo de advocacia da marca (colaboradores, social CEO, cliente) e viu este programa ser responsável por 24% do tráfego geral para o site e 42 milhões de euros em vendas atribuída ao social.

 

Performance e branding andando juntos

Campanhas de performance geralmente são criadas para alavancar resultados num curto espaço de tempo. Direcionamento para oferta (produto / serviço) através do marketing de busca (SEM) e geração de leads são alguns dos objetivos apontados pelos profissionais de marketing como decisivos para o negócio.

São tiros curtos para resultados rápidos.

Porém, estratégias de branding nas redes sociais têm mostrado força (e resultado).

 

O que isso significa para o seu negócio em 2020?

É preciso desenvolver a capacidade de balancear a análise holística com ações para conversão num tempo curto e planejamento estratégico a longo prazo para criar brand equity, satisfação do cliente e diferenciação são essenciais.

 

A Adidas descobriu que a maioria das vendas no e-commerce estava sendo direcionado pelas ações de marca (e não o marketing de performance). O problema era que a na divisão de verba, 23% ficava para marca e 77% em performance. Depois de reavaliar os investimentos e resultados, introduziram uma nova campanha com apelo emocional, centrada no direcionamento da marca.

 

Desafio

Avaliar o impacto das redes sociais em todos os canais.

 

Para que isso aconteça:

1.    Una campanha de busca com social

56% dos consumidores dizem utilizar ambos os canais (sites de busca e redes sociais) de maneira complementar na jornada de compra (awareness / consideration / purchase / engajamento)

 

2.    Dê tempo para sua marca performar

Os gestores estão viciados em objetivos de curto prazo. A sua marca é valiosa e merece o cuidado (e tempo) necessário para conquistar a mente e o coração das pessoas.

 

A prova do social

Mensurar o ROI (retorno sobre investimento) nas mídias sociais sempre foi um desafio para a equipe de marketing.

A maioria dos CMOs acredita compreender o impacto gerado pelas redes sociais no âmbito qualitativo, porém sofrem para provar isso no quantitativo.

 

O que isso significa para o seu negócio em 2020?

A estratégia de anúncios nas redes sociais deve estar integrada com demais canais (e-mail, assessoria de imprensa, programas de advocacia de marca). Isso traz mais confiança para os profissionais de marketing.

 

Desafio

Implementar modelos de atribuição.

70% dos profissionais ainda não utilizam modelos de atribuição, o que torna mais difícil provar o valor das redes sociais com demais canais que possuem muito mais dados como campanhas pagas.

 

Para que isso aconteça:

1.    Padronize os códigos UTM

Ter um padrão de códigos de rastreamento ajuda na higienização dos dados, facilitando assim a leitura e obter insights rapidamente.

 

2.    Não se desespere

Nenhum modelo de atribuição é perfeito. Atribuição é o caminho para unir dados de campanhas nas redes sociais com performance. Verifique as métricas que fazem sentido para o seu negócio.

Por exemplo: CLTV (customer lifetime value) pode ser a métrica de sucesso efetiva, desde que ela apresente um número unificado para determinar quanto de investimento é necessário para atrair um novo cliente, neste contexto, o valor das redes sociais pode ser mensurado para melhorar o CAC (cost of acquiring, ou custo de aquisição) através da melhoria no engajamento e lealdade.

 

3.    Invista nas ferramentas e nas habilidades

Só porque comprou uma calculadora, não quer dizer que você é bom em matemática. O valor virá quando você dedicar capacitação na sua empresa ou parceiros para analisar os dados que realmente fazem sentido para o seu negócio.

 

Estas tendências abrem caminhos para o trabalho mais estratégico no decorrer do ano. Elas mostram como as redes sociais são importantes e devem ser trabalhadas de maneira adequada. Desde a publicação do conteúdo (seja ele público ou privado), reforçando ai o fator humano (colaboradores e advogados da marca) até a análise dos resultados.

Quer ler o estudo original? Acesse aqui

E você, já colocou ou planeja colocar algumas das estratégias acima?

Conte-nos a sua experiência 😉